11 cachoeiras em SP que vale a pena conhecer • BesThings

11 cachoeiras em SP que vale a pena conhecer

Sabia que as cachoeiras em SP são destinos acessíveis para quem desembarca na capital? A maior parte dessas atrações naturais fica próxima ao litoral do Estado ou à região metropolitana. Isto é, você consegue fazer passeios, saindo da capital, em um mesmo dia. Assim, experimentar o tempo acelerado da cidade grande e o instante calmo da natureza podem ser boas pedidas para a sua viagem.

Nesse sentido, visitar cachoeiras é uma forma de sentir o impacto da arquitetura feita pela natureza. A altura e a profundidade da queda d’água são convites para relaxar e se concentrar apenas na beleza da paisagem com os vários sons ao redor. Você se lembra de um momento de descanso assim? Começar a colecionar essas sensações pode ser fundamental para se conectar em dias desafiadores no cotidiano de trabalho.




Dessa forma, lugares com cachoeira em SP ajudam a promover o bem-estar. Afinal, as belezas desses locais conseguem recuperar qualquer fôlego. Sabe quando, quase sem perceber, você dá aquela respirada lenta e profunda? Então, quem vai às cachoeiras da Graça, do Sol, do Engordador, de Marsilac, da Toca, do Toldi, do Elefante, do Poço Azul, do Paraíso, dos Pretos ou á do Prumirim parece até que reaprende a respirar.

Achou um exagero essa promessa? Então veja agora os detalhes de cada cachoeira e, após terminar a leitura deste texto, repense se esses destinos valem constar ou não nos seus desejos de viagem. Afinal, acessar informações detalhadas facilita uma escolha apropriada.

Logo, confira as informações sobre os melhores horários e épocas para a visita, o que se deve levar na mochila, como chegar até o local e o que fazer para aproveitar com conforto cada passeio. Acompanhe!


Quais as melhores cachoeiras de São Paulo?

O Estado de São Paulo tem muitos destinos para o turismo de natureza. Nesse sentido, as cachoeiras são um ponto de destaque no roteiro. Agora, como saber quais são as melhores cachoeiras? A estrutura do local, a beleza e a localização são algumas das respostas para isso.

Por outro lado, quem tem o hábito de viajar ou pesquisa sobre muitos destinos, já deve ter se confrontado com a ideia de que todo lugar tem o potencial de trazer boas experiências. Afinal, boa parte do sucesso de uma viagem é a soma da abertura do viajante para aceitar uma nova realidade, as companhias e algumas medidas de precaução. Obviamente, a beleza do local é um dos pontos mais importantes.

Então, o que queremos dizer aqui é: São Paulo tem muitas cachoeiras e todas podem resultar em boas memórias de viagem. Para começar essa jornada, separamos as 11 cachoeiras mais próximas da capital. Ou seja, são passeios que podem ser feitos em um único dia. Assim, você pode unir o turismo da selva urbana com uma viagem de ecoturismo. Continue gratuitamente a leitura e descubra agora!


1. Cachoeira da Graça

A Cachoeira da Graça fica em Cotia, no Parque Santa Rita de Cássia, na Estrada Morro Grande, número 100. Localizada a 47,5 km do centro de São Paulo, o trajeto dura em média 1 hora. Para chegar à queda d’água, é preciso andar por uma trilha pequena, em torno de 10 a 15 minutos de caminhada. Em alguns pontos, a descida é mais acentuada, mas nada muito desafiador.

Uma das atrações do local são as borboletas monarca, que dão ao passeio um clima mais colorido e dinâmico. A cachoeira em si tem vários níveis de queda, mas com uma altura pequena. Para aproveitar bem o espaço, a orientação é chegar cedo, pois o período da tarde tem um fluxo maior de pessoas. Você também pode escolher por ir em um dia de semana. Não se esqueça de recolher todo o seu lixo antes de ir embora.

2. Cachoeira do Sol

Com duas horas de viagem, saindo da capital, você chega à cidade de Monte Alegre do Sul, onde está localizada a Cachoeira do Sol. O ambiente é ótimo para levar a família e aproveitar a água, pois tem estrutura para os visitantes. É bom lembrar que a queda d’água fica em uma propriedade particular, sendo cobrada uma taxa simbólica para a manutenção.

Se você quer aproveitar esse espaço de todos os ângulos, basta fazer uma pequena caminhada e chegar ao topo da cachoeira. A vista de cima é uma ótima maneira de curtir o local, o que pode render boas fotos e uns momentos de relaxamento.

3. Cachoeira do Engordador

Já ouviu falar do Parque Estadual da Cantareira? Com quarenta minutos de carro, saindo de São Paulo, você consegue chegar ao local e encontrar a Cachoeira do Engordador. Para entrar é preciso pagar uma taxa de 19 reais. No Parque, há boa infraestrutura, com banheiros, estacionamento e espaço para piquenique.

Para acessar as águas, é preciso entrar em uma trilha que é coberta por copas de árvores, favorecendo o frescor durante o trajeto que exige momentos de esforço maior. A diversidade da mata atlântica — borboletas de várias cores, pássaros que se encontram no som dos seus cantos e árvores de altura de cachoeiras — é um dos atrativos do local.

Durante o percurso até a Cachoeira do Engordador podem ser vistas duas outras quedas d’água, ambas liberadas para tomar banho. Ao chegar no destino final, você encontrará uma belíssima pedra preta onde a água desce abundantemente. Chegue cedo e aproveite ao máximo o local. Aliás, é preciso estar atento aos horários de abertura e fechamento, pois, a depender do mês, eles podem se restringir apenas aos finais de semana.

4. Cachoeira de Marsilac

Cansou de trilha e quer algo mais rápido e acessível para crianças? Então vá à Cachoeira de Marsilac, a 56 km da capital. Ela fica em Engenheiro Marsilac, com um acesso de carro até a margem. Há a cobrança de uma taxa de manutenção do local. Você pode nadar e até se arriscar no stand up paddle ou na canoa. Dessa forma, um dia nessa cachoeira pode ser bem movimentado e mais simples de entrar e sair. Gostou?

O ambiente é limpo em todos os sentidos, com uma boa estrutura. Isto é, não é permitido levar bebida ou comida para a área da cachoeira, nem uso de som. Com muito verde, a cachoeira é boa para tomar banho sem perigos de enchentes repentinas (cabeça d´água). Além disso, ela conta com vigilância para os banhistas, prevenindo afogamentos.

5. Cachoeira da Toca

Alguns quilômetros a mais resultam em uma viagem mais longa, em torno de 3h30. Contudo, se ela pode ser de mais de um dia, a beleza da Cachoeira da Toca vale muito a pena. Ela fica na Praia dos Castelhanos, em um antigo engenho de cana-de-açúcar.

O atrativo são as pedras que formam um tobogã natural de 50 metros de extensão. Há uma gruta, piscinas naturais e uma queda d’água que faz do espaço um ótimo programa para toda a família. Além disso, há atividades como tirolesa, subidas em árvores, rapel e escalada, que acontecem na alta temporada.

O lugar tem uma ótima estrutura, sendo a cachoeira dividida em quatro áreas. A recomendação é investir em um bom repelente, para aproveitar toda a beleza do local, que solicita uma taxa de entrada simbólica. Há muitas opções de cachaça e comidas. Ah, um outro ponto para boas fotos é o alambique, usado para a produção de bebidas.

6. Cachoeira dos Pretos

Uma das cachoeiras mais altas de São Paulo está localizada em Joanópolis, a 133 km da capital. O local é ideal para desfrutar de toda a exuberância da natureza. Há lanchonetes e restaurantes com valores acessíveis e comida simples. Se você quer algo mais radical, pode se aventurar por serviços pagos de boia cross, rafting, tirolesa e trilhas.

Para apreciar toda a vista do local, há um passeio pago até o topo da queda d’água. A cachoeira é uma das mais bonitas do Estado. O volume de água é intenso. O resultado é uma bela cascata de 154 metros de altura, emoldurada pela vegetação nativa.

Nesse sentido, lembrar que o lugar é um ecossistema perfeitamente em equilíbrio faz você ter atenção ao seu lixo e uso de sanitários. Uma informação para ter em mente é aproveitar a vista ao almoçar no restaurante da cachoeira. O estabelecimento oferece self-service, com opções deliciosas de sabor mineiro.

7. Cachoeira do Toldi

Quem vai a São Bento do Sapucaí, a 200 km de São Paulo, precisa se aventurar pela trilha de 30 minutos até a Cachoeira do Toldi. É mais uma daquelas paisagens em que fotos não conseguem captar a dimensão real do espaço.

Além disso, em momentos de baixa intensidade de água, é possível ver pequenos arco-íris formados no vapor produzido pela água. Quer aproveitar e esticar a estadia por lá? Há boas opções de hotéis e pousadas.

8. Cachoeira do Elefante

Outro lugar de imponência das águas é a Cachoeira do Elefante, localizada a 96 km de São Paulo, em direção ao litoral do Estado. A sensação de conexão com a natureza é reforçada ao fazer a trilha, que começa no mirante da rodovia do Km 83, tranquila e longa, em torno de 1 hora. Em alguns pontos, o caminho é íngreme, então vale a pena repensar a ida com crianças.

Quem vai à Cachoeira do Elefante diz que é de tirar o fôlego, um espetáculo da natureza, conforme pode ser visualizado nas avaliações do Google e do TripAdvisor. Dessa forma, o destino pode ser ótimo para quem tem disposição de gastar um pouco mais de energia caminhando e ser recompensado com uma vista incrível.

9. Cachoeira do Poço Azul

O Poço Azul em Lavrinhas, a 244 km de São Paulo, é um local de águas cristalinas para sentir apenas o presente e se desconectar de preocupações. É seguro para ir com crianças, pois tem uma boa administração, com bombeiros e funcionários dispostos a dar todo o auxílio necessário. No entanto, esteja preparado para uma trilha de 25 a 30 minutos, com um nível leve de dificuldade. Para entrar é preciso pagar uma taxa de 30 reais.

O que chama a atenção, realmente, é a cor azulada da água dessa cachoeira, uma das mais bonitas do Brasil. A infraestrutura do local é reduzida, por isso esteja munido de água e lanches rápidos, além de sacos para lixo. Assim, aproveite a beleza reenergizante desse lugar.

10. Cachoeira do Paraíso

Outra opção de cachoeira no litoral paulista fica na Estação Ecológica Jureia-Itatins, em Peruíbe, a 160 km de São Paulo. A Cachoeira do Paraíso tem um nome que já antecipa a ideia do que o visitante pode encontrar por lá. A indicação é chegar cedo e aproveitar os 17 metros de queda d’água. O acesso se dá por uma pequena trilha de 350 metros.

A mata atlântica preservada do local garante um clima gostoso para se refrescar nas águas da cachoeira. Como você já deve ter percebido, um conselho valioso para aproveitar bem as cachoeiras paulistas é chegar cedo no local para evitar muita aglomeração. Tire belas fotos dos peixinhos que aparecem nas águas transparentes e aproveite para relaxar nesse lugar iluminado.

11. Cachoeira do Prumirim

Quer mais uma cachoeira com acesso fácil no litoral paulista? Então vá à do Prumirim. Piscinas naturais com um tobogã natural de pedras são os atrativos do cartão postal que fica a 243 km de São Paulo. A forte queda d’água pode ser a sua vista para aproveitar uma escalada ou apenas boiar nas águas refrescantes. Isto é, a cachoeira tem uma piscina natural profunda que rende ótimas fotos.

O espelho de água que se forma nas rochas da cachoeira é ideal, no verão, para refrescar se esparramando, já que o fluxo é menor. Ah, sem contar que, pelo fato de estar no litoral, você pode fazer um passeio pelas redondezas e aproveitar o dia de lua cheia em Paraty, como uma segunda lua de mel, já imaginou?


Qual a melhor época do ano para visitá-las?

O passeio a uma cachoeira acontece tranquilamente após o período intenso de chuvas. Assim, a partir de meados de julho até setembro é a época mais fácil para aproveitar. Neste período, a paisagem está verde e há fluxo de água intenso, garantindo o volume da queda d´água. Além disso, as trilhas já estão secas o suficiente para pisar com firmeza durante todo o trajeto.

Agora, por outro lado, é preciso se informar sobre as previsões do tempo do lugar. Podem acontecer chuvas repentinas, ou o local estar com acesso dificultado por conta de algum deslizamento. É bom lembrar que as cachoeiras são grandes pedras que formam espaços com diferenças de altura. Por isso, verificar se houve chuvas nas últimas semanas previne e aumenta as chances de desfrutar bem do local.

Por exemplo, em algumas cachoeiras, mesmo na temporada de precipitações, é possível visitar. Obviamente, sem ocorrer chuvas no dia do passeio. Nesse sentido, a estrutura e o caminho até chegar à cachoeira são dois pontos importantes para considerar essa viabilidade. Isto é, se o local ficar no meio da mata fechada e a trilha passar por córregos, o melhor é esperar chegar julho, agosto e setembro.

Outro destaque que merece ser falado é que a cachoeira serve como alternativa à praia. Afinal, quem aproveita uma cachoeira não precisa de sol para ter uma experiência positiva. Desse modo, dias nublados podem, inclusive, colaborar para o êxito do passeio. Nesse sentido, você tem um passeio com um clima agradável e consegue ver toda a exuberância da mata verde e da água doce.

Então, a questão que fica é: oportunidade boa ou não de ir no verão? A resposta é: qualquer momento tem a chance de ser bom para ir à cachoeira se os cuidados forem obedecidos. O bom de ir em momentos de sol intenso é sentir o choque término do calor com a água refrescante da cachoeira. Além disso, há ótimas instruções fáceis de precauções que garantem uma vivência positiva. Isso você saberá no tópico logo abaixo.


Como aproveitar melhor o passeio?

Estar em locais onde há beleza em todas as partes já é quase uma certeza de que a experiência vai ser boa. Contudo, como sabemos que você quer ter uma história completamente incrível, que tal garantir isso com algumas precauções? Sem dúvida, imprevistos acontecem e podem influenciar o passeio. O objetivo é tornar pequena essa influência para que apenas a beleza da paisagem aliada às boas companhias sejam destacadas.

Outro ponto importante é tomar um café-da-manhã reforçado para ter energia suficiente durante o dia. Há muitas atrações próximas a esses destinos, o que pode render uma ótima combinação no seu roteiro. Por isso, vale dar uma pesquisada no entorno e se programar para aproveitar as praias do litoral ou dar uma turistada pelas cidades próximas. Uma das coisas boas de viajar são as surpresas que podem ser encontradas no caminho. Aposte nisso!


Mochila, repelente, garrafa e toalha de natação

Dessa forma, o primeiro ponto é levar uma mochila com repelente de insetos (preferência por versões em creme ao invés de spray, pois o creme espalha de modo uniforme na pele), frutas e castanhas. Como, provavelmente, você passará por uma trilha, opte por alimentos de fácil digestão e com alto valor energético. Isto é, dispense leite e derivados.

Além disso, uma garrafa de alumínio de 1 litro e meio de água é fundamental para se manter hidratado durante todo o dia. Por falar em água, outra recomendação é escolher uma mochila impermeável. Assim, você garante que todo o conteúdo continuará seco caso aconteça alguma chuva rápida ou mesmo no contato próximo da água, em momentos de banho.

Pensando nisso, opte por levar toalhas para natação, feitas de microfibra. Elas são fáceis de secar e não fazem grande volume. Assim, separe uma toalha para usar como canga e as outras adicionais para se secar. Dessa forma, você garante que os objetos colocados na superfície continuem secos caso a umidade das roupas de banho fique próxima.


Tênis de corrida, hidratante, boné e protetor solar

Use calçados flexíveis, fechados e com materiais respiráveis. Assim você mantém o conforto dos seus pés e da sua coluna. De preferência, use tênis com um bom sistema de amortecimento. Assim, durante uma caminhada entre as pedras, o seu pé conseguirá se adaptar à irregularidade do solo.

Falando em conforto, use hidratante nas dobras do seu corpo para favorecer os seus passos durante a caminhada. Ah, um boné ou um chapéu também são indicados para proteger a sua cabeça e evitar a surpresa de uma insolação.

Quer dizer, as brechas de luz que entram na mata, somadas aos momentos de caminhada em local aberto, podem favorecer a absorção contínua de sol sem você perceber. Então, além do protetor solar, use algo para amparar o rosto.


Guia de trilha

Uma viagem com passeio à cachoeira é mais segura com um guia de trilha ou de turismo. Ele é o profissional que tem experiência sobre o local. Logo, consegue transmitir informações e conhecimentos importantes para garantir bons momentos durante a visitação. Assim, o guia sabe o melhor local para tomar banho, além da hora de chegar e de sair. Sim, sem falar que ele pode dar as melhores recomendações de lugares para tirar boas fotos.

As cachoeiras perto de SP são destinos de turismo de natureza ideais para quem quer se sentir parte de paisagens incríveis. Afinal, o porte da Cachoeira do Elefante ou os 154 metros de altura da Cachoeira dos Pretos são experiências para se conectar com o momento presente.

Para isso, separe roupas leves e confortáveis para que o suor possa evaporar com mais facilidade durante o passeio e um tênis com boa ergonomia para evitar calos. Além disso, como você leu neste texto, é fundamental o uso de repelentes para aproveitar o passeio tranquilamente.

Ah, lembra da respirada profunda ao ver uma cachoeira que falamos no início? Então, agora que você já sabe das melhores orientações para esse roteiro turístico, ficou com vontade de descobrir se consegue relaxar nas quedas d’águas? Nós temos um palpite e ele é positivo!

Aproveita para compartilhar essa seleção de cachoeiras em São Paulo agora mesmo em suas redes sociais! Quem sabe algum amigo ou familiar também não se anima para combinar com você?

O post 11 cachoeiras em SP que vale a pena conhecer apareceu primeiro em Revista Azul.